Cientistas de Coimbra criam embalagens comestíveis

2-05-2021

Uma equipa de investigadores da Universidade de Coimbra, com a colaboração da Escola Superior Agrária de Coimbra, desenvolveu embalagens comestíveis a partir de resíduos do setor agroalimentar e da pesca.

As embalagens comestíveis, que constituem “uma alternativa sustentável ao plástico”, são “filmes obtidos a partir de resíduos de diferentes alimentos, nomeadamente de cascas de batata e de marmelo, fruta fora das características padronizadas e cascas de crustáceos”, explica a Universidade de Coimbra (UC), numa nota divulgada esta segunda-feira. “Além de revestirem os alimentos, prolongando a sua vida útil na prateleira do supermercado”, as embalagens também “podem ser ingeridas”.

Os novos invólucros criados por Marisa Gaspar, Mara Braga e Patrícia Almeida Coimbra, do Centro de Investigação em Engenharia dos Processos Químicos e dos Produtos da Floresta da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC (FCTUC), foram “pensadas essencialmente para revestir frutas, legumes e queijos, incorporando na sua matriz compostos bioativos/nutracêuticos, tais como antioxidantes e probióticos, com potenciais efeitos benéficos para a saúde”.
(Cont a ler–>JN)

Desenvolvido por: Suporte Informatica