Estudo revela que 5 gigantes tecnológicas consomem mais energia que países como Portugal e a Grécia

21-06-2022

Facebook, Amazon, Apple, Netflix e Google juntas ultrapassam países como Portugal e a

Um estudo da Karma Metrix focou-se no impacto ambiental das cinco das principais tecnológicas. Se o grupo FAANG (Facebook, Amazon, Apple, Netflix e Google) fosse um país, este seria o quarto do mundo com mais emissões de Dióxido de Carbono na atmosfera. E que o seu consumo de energia cresceu 198% nos últimos três anos.

Os dados da Karma Metrix dizem que estas empresas emitiram 98,7 milhões de toneladas de carbono na atmosfera, mais que toda a República Checa em um ano, que emitiu 92,1 milhões de toneladas. Em 2020, os 98,7 milhões de toneladas de CO2 emitidas pelas gigantes tecnológicas, apenas o Bangladesh e o Qatar registaram valores superiores, em 108,5 e 99,5 milhões de toneladas, respetivamente.

Veja na galeria os gráficos com os dados ao detalhe

Entre 2018 a 2020 as empresas FAANG aumentaram as emissões em 17%. A Amazon foi a tecnológica mais poluente, com mais de 60 milhões de toneladas de CO2 só em 2020. Segue-se a Apple com 22,6 milhões e a Google com 10,3 milhões. Mas a Google é a que tem vindo a mostrar mais resultados de redução, tendo reduzido 24% desde 2018.

No entanto, as boas notícias é que nos últimos anos as gigantes tecnológicas, no geral, têm vindo a dar sinais de redução de emissões, graças à eficiência dos seus centros de dados e claro, a substituição de energia para fontes renováveis.

E no que diz respeito ao consumo de energia, estas cinco empresas utilizaram 49,7 milhões de MWh, quase tanto como a Roménia que registou 50 milhões de MWh, mas superior ao Peru (49,1 milhões), Portugal (48,4 milhões) e Grécia (46,2 milhões). É referido que entre 2018 e 2020 as empresas triplicaram o consumo de energia, de 16,6 para 49,7 milhões de MWh.


< ![endif]--> Consumo de energia e emissões das FAANG
Créditos: Karma Metrix

Mais uma vez é a Amazon a empresa que mais consumiu energia, com 24 milhões de MWh em 2020, seguindo-se a Google com 15,4 e o Facebook com 7,2 milhões. Ao todo, as empresas somam 73 centros de dados, sendo 24 da Amazon, 21 da Google, 19 do Facebook, 9 da Apple e a Netflix que não tem nenhum, segundo o documento do estudo.

O relatório revela dados interessantes, tais como o impacto que a simples utilização do Dark Mode e a escolha das cores pode influenciar o consumo de energia. Nas estimativas da Karma Metrix, utilizar os ecrãs negros podem ajudar a poupar até 9% de energia. A empresa diz ainda que a Apple e a Google parecem ser as empresas mais comprometidas com o meio-ambiente. Já a Meta, empresa-mãe do Facebook continua a investir em mais centros de dados, muito devido ao seu compromisso com o metaverso. No entanto, as empresas estão a escolher soluções mais verdes para diminuir o impacto do seu consumo no ambiente.
(Teksapo)

Desenvolvido por: Suporte Informatica