Promotor imobiliário internacional vende imóveis portugueses em criptomoeda

28-10-2021

A Prometheus International vendeu duas casas de luxo, ainda em construção, na Madeira, por 4,1 milhões de euros. As propriedades foram pagas em criptomoeda, a primeira vez que isso acontece no nosso país, marcando assim o início da revolução blockchain em Portugal.

As duas primeiras propriedades dos projetos costeiros Aurora e Saudade (na ilha da Madeira), no valor total de 4,1 milhões de euros, foram vendidas em Portugal pela Prometheus International e pagas em criptomoeda. Esta venda torna-se assim na primeira e mais cara aquisição de um imóvel de luxo em Portugal desde a revolução blockchain.

Priyesh Patel, CEO da Prometheus, revelou hoje que a empresa fechou um acordo, em agosto, para vender duas casas de luxo, pagas com a criptomoeda Cardano. A empresa desenvolveu novos protocolos que permitem a integração desta nova área de mercado nos seus requisitos internos KYC (“Know Your Costumer”) para concluir a transação em euros antes do registo e torná-la assim compatível com as leis europeias.
A posse dos imóveis também estará disponível como um NFT (Token Não-Fungível), permitindo que os futuros proprietários revendam as propriedades com apenas um clique, através da tecnologia Blockchain. A equipa jurídica da Prometheus garantirá que as transferências e os registos de propriedade estejam em conformidade com toda a legislação aplicável, até que os governos adotem a tecnologia blockchain nos seus processos.
PROJETO BLOCKCHAIN
A Prometheus está a desenvolver um projeto pioneiro chamado The Royal Blockhouse, em conjunto com alguns dos maiores influencers europeus neste espaço, conjugando dois aspetos da revolução blockchain: as infraestruturas NFT e Blockchain, sendo esta a primeira do género no mundo imobiliário.
  1. O Royal Blockhouse consiste num conjunto de vivendas internacionais de luxo, projetadas por arquitetos da Prometheus, escandinavos e portugueses. Estarão disponíveis em locais idílicos em todo o mundo dentro de um mês, estabelecendo um novo padrão dentro do espaço de desenvolvimento imobiliário internacional para imóveis de luxo.
  2. As moradias serão totalmente geridas na blockchain, desde as funcionalidades smart home, o licenciamento, direitos de propriedade, aluguer, taxas, tecnologia, acessos, pagamentos, condomínio, entre outros.
  3. Os investidores poderão adquirir propriedades de luxo em grupo e ganhar dinheiro com as rendas, detendo tokens que representam uma parte de uma propriedade. Isto permitirá aproveitar os fluxos de receita provenientes das rendas sem a necessidade de comprar o ativo subjacente pelo preço total.
A Prometheus centra atualmente a sua atividade em Portugal na Madeira, definindo-se como uma empresa que tem como missão “garantir a construção de imóveis de luxo da mais elevada qualidade, integrando inovação, tecnologia inteligente e produtos de qualidade superior para criar os imóveis mais bonitos do planeta”.
O processo inclui a escolha dos locais, gestão do projeto de arquitetura, a construção, a integração de funcionalidades Smart Home até à entrega do produto final ao cliente – mobilado e pronto a ocupar. “O cliente entra na sua casa pela primeira vez como se estivesse a entrar num hotel de luxo”, explica o CEO da Prometheus, que só fabrica produtos que obedeçam a padrões muito elevados. A empresa chama à sua abordagem Architecture for a Life Worth Living, ou seja “Arquitetura para uma vida que vale a pena viver”.
A empresa tem atualmente cinco empreendimentos imobiliários de luxo na Madeira, estando outros em desenvolvimento. Estes projetos têm “um nível de execução e acabamento sem paralelo na região”, afirma o CEO da Prometheus. Os projetos Aurora e Interestelar, na Calheta, e o projeto Saudade, na Ponta do Sol, têm entrega prevista para 2022, num valor total superior a 15 milhões de euros. A Prometheus tem vários compradores interessados e duas das vivendas foram já vendidas antes da conclusão. Dois outros projetos na região da Calheta, Valhalla, estão em fase de desenvolvimento, juntamente com o Royal Blockhouse definido para implantação em Portugal.
A Prometheus quer partilhar a beleza de Portugal com o mundo e trabalha ativamente com uma rede de influencers, promovendo as especificidades da vida na Península Ibérica, criando casas de cortar a respiração e encorajando mais investidores a arriscarem e deslocarem-se progressivamente para esta nação cada vez mais favorável aos negócios na Europa Ocidental. A Prometheus já criou mais de 50 empregos indiretos só na Madeira.
A Prometheus aceita pagamento em moeda convencional. E, apesar de os dois primeiros imóveis terem sido transacionados em Cardano, a empresa aceita qualquer tipo de Cripto ou moeda tradicional, oferecendo ao crescente número de clientes opções de pagamento alinhadas com o seu estilo de vida.

(ITO)

Desenvolvido por: Suporte Informatica