Digg tentou comprar Google Reader em 2012

18-10-2021

Em 2012, o CEO do Digg, Andrew McLaughlin, viu uma postagem num blog especulando que o Google Reader seria fechado.

No mesmo instante, enviou uma mensagem para um de seus amigos no Google, brincando, oferecendo-se para comprar o Reader.

Na mensagem, ele disse que gostaria de “tirar isso [o Reader] de suas mãos”.

Para a sua surpresa, uma resposta séria da gigante de Mountain View explicava que ele não poderia comprar o serviço.

O buscador informou que não poderia vender o nome, dados de usuários ou a base de código (que só funcionaria em seus servidores) e, portanto, não havia nada para comprar.

Em fevereiro de 2013, um amigo de McLaughlin no Google disse a ele, referindo-se ao Google Reader:

“Não estou lhe contando nada, mas não vamos manter isso para sempre e talvez você queira ter algo pronto até o final do ano.”

Quando o Google decretou o fechamento do Google Reader em 1º de julho de 2013, o Digg anunciou o desenvolvimento do Digg Reader na mesma noite.

Se você se viveu aquela época, sabe que a internet enlouqueceu. Muitos se sentiam órfãs com o fim do serviço.

O Digg era um dos principais sites de crowdsourcing na web e sua inovação antecedeu a criação de sites como o Reddit.

Digg Reader

Quando o Google anunciou que estava fechando o Google Reader, o Digg respondeu que eles tinham uma alternativa.

Em 13 de março de 2013, após 90 dias para realizar o imaginável, o Digg anunciou seu leitor de RSS com recursos que procuravam simular o produto do buscador.

Em julho de 2013, o Digg Reader atingiu um pico de rastreamento chegando a 7,7 milhões de feeds.

5 anos depois, contudo, o Digg anunciou que encerraria o Digg Reader em 26 de março de 2018.
(Googlediscovery)

Desenvolvido por: Suporte Informatica