Cara metade: 44% dos indivíduos confiaria em Inteligência Artificial para escolher um parceiro

12-09-2021

44 por cento das pessoas confiariam na Inteligência Artificial para escolher um parceiro. A conclusão é de um estudo internacional da Kaspersky, que revela ainda que 64 por cento dos inquiridos afirmaram que as recomendações dos algoritmos acertaram em cheio nas suas preferências.

Esta perceção positiva geral da Inteligência Artificial é confirmada pelo estudo global desenvolvido pela ARM, onde 54% dos inquiridos admitiram que estavam interessados em utilizar a IA para servir de companhia ou assistente pessoal.

Os encontros online não são exceção, com os serviços a utilizarem algoritmos inteligentes a fim de ajudarem as pessoas a encontrar uma correspondência ou recomendar-lhes perfis adequados aos seus interesses. De acordo com o estudo da Kaspersky, mais de metade (54%) dos inquiridos concordam que as aplicações de encontros em geral tornaram este processo muito mais fácil. Além disso, 43% afirmam mesmo que apenas se encontrariam com os indivíduos que o algoritmo lhes recomendasse.

Sim, mas…

Mas, se uma coisa é confiar nas recomendações, outra é escolher uma correspondência tendo apenas por base as recomendações de IA, uma vez que mais de metade (56%) dos inquiridos não tem a certeza se os algoritmos conseguem cobrir toda a complexidade de fatores que fazem uma pessoa sentir-se atraída por outra. Além disso, 39% confessam que os algoritmos são “desumanizadores”.

“Os resultados da nossa investigação revelam que muitas pessoas têm uma perceção positiva em relação à introdução da IA em aplicações de encontros e que esta pode ajudar muitos a encontrar uma correspondência adequada. Os algoritmos inteligentes analisam os interesses, preferências e «swipes» dos utilizadores para recomendar candidatos adequados ao seu perfil. Ao mesmo tempo, apesar dos benefícios e possibilidades dos serviços de dating, devemos permanecer sempre vigilantes e lembrarmo-nos que não podemos saber ao certo quem está do outro lado do ecrã”, partilha David Jacoby, investigador de segurança da Kaspersky.

E acrescenta: “A digitalização e as suas possibilidades apenas mudam a procura pelo verdadeiro amor e não o verdadeiro amor em si. Tecnologias como a inteligência artificial tornam possível uma procura mais precisa, rápida e simples, minimizando os riscos. E isso é importante, porque as aplicações de encontros têm tudo a ver com descobrir o parceiro perfeito. É por isso que estamos tão dispostos a deixar que a inteligência artificial nos ajude – faz um trabalho preliminar valioso até ao primeiro encontro.

“Os algoritmos podem não ser capazes de sentir, mas tornam possíveis relações que envolvem qualidades muito pessoais, tais como empatia, abertura e estabilidade emocional”, comentam os terapeutas Birgitt Hölzel e Stefan Ruzas da clínica de Munique Liebling + Schatz.

Para saber mais sobre como as tecnologias podem mudar os encontros e as relações, clique aqui
(TeckNet)

Desenvolvido por: Suporte Informatica