Vendas da App Store terão permitido à Apple encaixar cerca de 64 mil milhões de dólares

11-01-2021

A loja de aplicações da Apple terá visto as vendas subir significativamente no ano passado, impulsionadas pela pandemia, conclui uma análise divulgada pela CNBC.

No ano passado, as vendas da App Store terão atingido os 64 mil milhões de dólares (mais de 52,8 mil milhões de euros), revela uma análise feita pela CNBC.

De acordo com o canal de televisão norte-americano, as vendas da loja de apps, ainda antes de impostos, terão permitido à Apple encaixar quase mais 14 mil milhões de dólares face aos resultados de 2019.

Estes números são, também, obtidos através da análise da CNBC, que salienta que as vendas da App Store têm crescido ao longo dos últimos anos: em 2018, terão rondado os 48,5 mil milhões de dólares (39,5 mil milhões de euros).

Ao longo de 2020, esta análise estima que as receitas da App Store tenham crescido 28%, um número consideravelmente acima dos 3,1% de crescimento em 2019.

A Apple não revela o montante gerado pela App Store. As receitas da loja de aplicações são obtidas através de comissões cobradas aos detentores das aplicações. Salvo algumas exceções, a Apple obtém 30% por cada venda feita através da loja. Depois de alguma contestação, as empresas que gerem menos de um milhão de dólares através da App Store podem pagar 15% do montante, metade da comissão geral.

Utilizadores gastaram milhões nas festas

Numa publicação oficial, a Apple indica que só durante a época do Natal e Ano Novo os utilizadores gastaram “1800 milhões de dólares em bens digitais e serviços”, maioritariamente em jogos.

O primeiro dia de 2021 começou mesmo com um montante de 540 milhões de dólares (441 milhões de euros) de compras na App Store.

(DN_insider)

Desenvolvido por: Suporte Informatica