Qual o futuro do país depois da COVID-19? Jovens apresentam 50 medidas para iniciar debate

30-05-2020

Um manifesto assinado por jovens entre os 20 e 35 anos quer promover o debate sobre o futuro do país depois da pandemia, defendendo que tal “não pode ser feito sem a nossa geração”.

“Pertencemos a uma geração que chegou à vida ativa durante a crise das dívidas soberanas e que se encontra agora, nem 10 anos volvidos, na soleira de uma nova crise económica”. É desta forma que começa um manifesto que quer iniciar um debate intergeracional sobre o Portugal pós COVID-19. O documento foi enviado ao Governo pelos Global Shapers Lisbon Hub, organização enquadrada no Fórum Económico Mundial, e a plataforma 100 Oportunidades, que pretende promover a participação de jovens especialistas no debate público.

Disponível no site da plataforma 100 Oportunidades, o documento “não é um manifesto comum”, esclarecem os membros dos grupos com idades entre os 20 e os 35 anos. “Até porque o que nos une é a idade, e não a ideologia ou a forma de pensar o mundo”. Este pretende ser, sim, um “ponto de partida de debates setoriais de fundo entre gerações”.


< ![endif]--> 50 medidas para um Debate Intergeracional de Fundo na Sociedade Portuguesa pós COVID-19

Nele são apresentadas medidas para diversos setores, elaboradas por jovens que trabalham nessas áreas, e que se mostram preocupados com o futuro do país. “Os números indicavam, já antes da pandemia, que apesar de sermos uma geração mais qualificada que a dos nossos pais, viveríamos em piores condições económicas”. E agora a perspectiva “não melhorou”, garantem.

Intitulado “50 Medidas para um Debate Intergeracional de Fundo na Sociedade Portuguesa pós COVID-19″, o manifesto abrange várias áreas de atuação. Economia, cultura, saúde, educação, trabalho, direitos humanos ou desporto são algumas delas.
(Teksapo)

Desenvolvido por: Suporte Informatica