CIA era dona da Crypto AG suiça e espiou aliados e inimigos durante décadas

12-02-2020

Numa revelação ao estilo dos filmes de espionagem, descobriu-se que a CIA tinha acesso às comunicações encriptadas de todos os aliados e inimigos que confiassem nas máquinas da Crypto AG suíça… que afinal estava sob seu controlo.

A Crypto AG era uma empresa suíça especializada no fornecimento de máquinas de encriptação, com décadas de historial e reputação, utilizada por praticamente todos os países do mundo. O que não se sabia era que afinal a empresa pertencia secretamente à CIA e serviços de informação da Alemanha ocidental - e que ambas podiam facilmente descodificar todas as comunicações supostamente seguras feitas através das suas máquinas.

Isto manteve-se ao longo de décadas, sendo que a Crypto AG só foi “desmantelada” em 2018, quando o seu “segredo” já se tinha tornado conhecido - mas ainda assim, com as operações a serem absorvidas por novas empresas que não se libertarão da suspeita de continuarem ligadas à CIA.

A técnica de manipulação era subtil, consistindo na adulteração dos algoritmos de encriptação por forma a não serem tão aleatórios como seria suposto. Embora as agências tivessem que recorrer a outros métodos para “escutarem” as mensagens, as mesmas podiam ser decifradas em segundos (na prática, como se não tivessem qualquer encriptação).

Mais uma vez se conforma que as “teorias de conspiração” - neste caso - acabam por não ser nem teoria nem conspiração; e que a suposta garantia de ser uma “empresa suíça” de nada vale neste vasto mundo da espionagem mundial. Também não deixará de ser caricato depois ver os EUA a fazerem campanhas contra a Huawei dizendo que eles poderão espiar as comunicações… quando também os próprios EUA são apanhados a espiar tudo e todos, incluindo os seus supostos aliados, durante décadas.
(ptnik)

Desenvolvido por: Suporte Informatica