Eurostat: Portugueses são os que mais evitam fazer compras online por preocupações de segurança

28-01-2020

Os dados de 2019 colocam o país no topo, com 23% dos portugueses a evitarem comprar online devido a questões relacionadas com a segurança, enquanto na Estónia a realidade é bastante diferente (1%).

No mesmo dia em que se assinala o Dia Internacional da Proteção de Dados, o Eurostat divulga novos dados relativos a 2019 e às preocupações dos europeus em relação às compras online. Portugal destaca-se de todos os restantes países, já que 23% dos portugueses optou por não realizar este tipo de compras através da Internet, quando a média da União Europeia não chegou aos 10%, e no caso da Estónia a não ultrapassar o 1%.

Em segundo lugar surge a Espanha, mas, ainda assim, distante do caso nacional, com cerca de 16% dos espanhóis a decidirem não fazerem compras online por este tipo de razões. O top 3 termina com a Húngria. Por outro lado, a Dinamarca, a Polónia e a Estónia são os países onde esta realidade é menos frequente.

Os dados agora divulgados demonstram que um dos motivos que levaram as pessoas a não comprarem online nos últimos 12 meses está relacionado com questões de segurança ou de privacidade. Neste caso, estas questões levaram 6% dos europeus com idades entre os 16 e 74 anos a não apostarem nesta opção, quando em 2017 e 2009 as percentagens foram de 7% e 11%, respetivamente.

As preocupações com a segurança do pagamento foram o segundo motivo mais frequente em 2019, seguidas de outros, como falta de competências para o fazer ou possíveis problemas nas entregas.

Os dados surgem depois de em 2019 as compras online terem sido o principal motivo das reclamações no Portal da Queixa em Portugal, contrariando a tendência dos últimos anos relativa às operadoras de telecomunicações. Mas a Comissão Europeia parece estar atenta aos riscos do comércio online e, no início deste ano, anunciou novas regras para proteger o consumidor.
(Teksapo)

Desenvolvido por: Suporte Informatica