O drama de uma password errada no Windows

15-01-2020

Apropriadamente coincidindo com o fim do Windows 7, passei por um educativo episódio que demonstra que ninguém está livre de episódios de pânico, resultante de um erro de password errada ao tentar entrar no meu computador principal com Windows.

Era uma madrugada como qualquer outra, em que me preparava para agendar os artigos para o dia seguinte no Aberto até de Madrugada, mas desta vez mal sabia o que me esperava. Carrego no teclado para acordar o computador do seu habitual “sleep mode” (só faço reboot muito raramente, quando as actualizações isso exigem, e depois de muitos dias / semanas a adiar o reboot que o Windows vai sugerindo), e introduzo a password… Só que em vez do habitual som de login feito, deparo-me com uma mensagem de password incorrecta.

Ok, não é incomum, pode ter escorregado um dedo numa tecla. Volto a repetir a introdução da password, mas o aviso de password errada permanece. Tento mais uma vez, e outra ainda, mas de todas as vezes o Windows continua a dizer-me que a password está errada! Olho com mais atenção, carrego no caps lock, volto a tirar, volto a tentar a password, tecla por tecla, mas nada mudava: password incorrecta.

Password incorrecta!?!
Podia chegar-me 50 cm para o lado e ligar o portátil, mas nesta altura a minha mente ia pensando entre a chatice de ter que lidar com isto numa altura em que não seria aconselhável desperdiçar tempo (até eu preciso de dormir, e todos os minutos contam ;P) e o que poderia estar na origem desta situação. Pois bem, o que se faz quando algo inesperado acontece? Abro o smartphone e vou ao Google pesquisar por passwords erradas no Windows - imaginava eu que pudesse estar relacionado com um qualquer bug de uma qualquer actualização recente, mas não havia notícias sobre isso.

Enquanto isso, ia também pensando se se poderia tratar de algum malware, que ao fim de décadas de utilização de computadores, me fizesse juntar ao grupo de pessoas afectada por alguns desses “bichos”. Seria ransomware? Seria algo que me estaria a roubar as passwords acessíveis no browser? Ui… o pânico começava a instalar-se, e a regra nº1 neste tipo de situações é nunca fazer nada em pânico.

Respirando fundo, regresso aos passos essenciais: tenho que voltar a entrar no Windows. E com isso, nova pesquisa no Google sobre como remover password de contas Windows. Uns resultados enviavam-me para programas a pagar; outros para métodos com necessidade de discos de arranque; e os poucos que diziam funcionar a partir do arranque em “safe mode” não estavam a funcionar.

Já me preparava para ligar o portátil para criar um dos tais discos de arranque quando o meu olhar recai sobre uma das muitas pens USB que vou acumulando sobre a base do monitor e que, passados alguns anos, já nem se sabe muito bem o que têm. Puxando pelos neurónios, recordo-me que pelo menos uma delas deveria ter algum sistema de arranque com utilitários do sistema. O problema era saber qual, entre pens com dados que considerava importantes há 15 anos atrás, outras com sistemas Linux já obsoletos, e outras coisas mais. Felizmente, o olhar inconsciente para a “tal” pen USB revelou-se profético, e era efectivamente uma pen de arranque com ferramentas para o Windows, entre as quais se encontrava, felizmente, uma para remover a password do sistema.

Novo reboot, em alto estado de ansiedade, e eis que chego ao ecrã de login… desta vez sem pedido de password. Vitória! (Por agora!)

O que se teria passado para causar tal comportamento?
Visualmente tudo parecia bem à primeira vista. Todos os documentos, pastas, fotos, etc. estavam acessíveis e nos devidos lugares. O browser continuava a abrir com as suas costumeiras 4 páginas e dezenas de tabs em cada uma delas - embora com o elemento suspeito de não estar com o login feito em sites como o Gmail, Facebook, e tudo o resto. E nesta fase, não estava com vontade de introduzir qualquer password em qualquer site que fosse!

Regressando às bases, abro a linha de comandos e começo a escrever a password do computador (fora de ordem e misturada com outras letras) para tirar as teimas de que realmente o teclado estaria a escrever bem… E eis que numa das letras, a tecla não escreveu! Tento novamente, e nada. Só depois de pressionar a tecla com um pouco mais de força e repetidamente é que a tecla “desencravou” e regressou à normalidade. Afinal… era só a tecla! Ufa!

Olhando para trás, relembro-me que com um pouco mais de calma talvez me tivesse apercebido que ao escrever a password uma das teclas não fizesse surgir o “caracter” na caixa de entrada - mas o facto de ser uma password longa não facilitava detectar se faltava um caracter ou não. Também senti falta de uma opção que pudesse mostrar a password real em vez das “bolinhas” que eram apresentadas, e que neste caso poderia ter ajudado a descobrir o erro de forma imediata sem desperdício de tempo e sem ataques de pânico.

Serve como lição de despedida do Windows 7, e que demonstra que mesmo “percebendo-se” de computadores, nunca se está livre de ser surpreendido por algo inesperado e que pode provocar calafrios. Felizmente, desta vez a lição limitou-se a uma tecla mais preguiçosa… e ainda bem que foi só isso! :)

P.S. Em vez de terem que arriscar “à sorte” e conseguirem acertar numa pen USB que desenrasque a situação, aconselho que mantenham uma pen USB devidamente assinalada que permita entrar / recuperar o sistema para lidar com a eventualidade do vosso computador um certo dia se recusar a arrancar ou dar acesso ao sistema (podendo ser algo tão simples como uma avaria no disco). Uma boa opção são as pens de arranque / recuperação para reposição de backups. No meu caso tinha backup mas não tinha feito uma pen de recuperação, coisa que me apressei a fazer.

(ptnik)

Desenvolvido por: Suporte Informatica