Mais de mil milhões de imagens médicas estão expostas na net

13-01-2020

Como se não bastassem as preocupações com verem as fotos potencialmente expostas na net, milhões de pessoas têm também que viver com a ameaça das imagens dos seus exames médicos estarem também acessíveis ao mundo.

Na maior parte dos casos isto deve-se ao desconhecimento (ou despreocupação) dos profissionais de saúde, que não tomam as medidas adequadas para proteger o acesso aos sistemas de arquivo das imagens - que incluem imagens de ultra-sons, tomografias, raios-X e outras. Mas o mais preocupante é que a quantidade de imagens que vai ficando exposta está a crescer a um ritmo alarmante.

Actualmente, são mais de mil milhões de imagens de exames médicos expostas na net, referentes a mais de 35 milhões de pacientes individuais.

Considerando que estas imagens vêm com informação completa sobre os pacientes, os riscos multiplicam-se drasticamente. Não só servem para potencialmente revelar a condição clínica das potenciais vítimas, como oferecem “de bandeja” o seu nome, idade, data de aniversário e outras informações preciosas para todo o tipo de actividade indesejadas: dos ataques de phishing direccionados, ou próprio roubo de identidade.

Se tantas preocupações há com o uso da nossa informação privada, mais ainda deveria haver quanto a este tipo de informação - e o facto de aparentemente ser uma área onde a exposição dos dados está fora de controlo, resta esperar que a chamada de atenção contribua para acelerar mudanças neste sector, para que fique devidamente garantida a privacidade dos pacientes.
(ptnik)

Desenvolvido por: Suporte Informatica