Executivo do Facebook considera que rede social vai ajudar a reeleger Donald Trump

11-01-2020

O Facebook tem vindo a ser criticado pela forma como pode ter sido utilizado para influenciar os resultados das ultimas eleições nos EUA, com a vitoria de Donald Trump. Apesar de a rede social ter vindo a tentar manter as suas posições neutras, ainda existe muito trabalho a ser feito para que isso possa realmente ter resultados no final.

De acordo com as declarações de Andrew Bosworth, um executivo de longa data do Facebook, Donald Trump encontra-se a utilizar o sistema de publicidade do Facebook para promover a sua imagem em pleno período de campanha de reeleição.

Numa mensagem recolhida pelo CNET, o executivo afirma que, tal como a rede social foi utilizada para “eleger” Donald Trump para presidente dos EUA, o mesmo poderá voltar a acontecer ainda este ano.

Bosworth afirma que a vitoria de Trump há quatro anos apenas aconteceu porque este soube utilizar as ferramentas de publicidade do Facebook em seu proveito, bem como os fundos que tinha ao seu dispor na altura. Além disso, a plataforma permitiu que essa publicidade fosse lançada, influenciando em parte os resultados finais. O executivo afirma que a rede social deveria rever consideravelmente a sua posição sobre a forma como aceita anúncios políticos dentro da mesma.

Além de Bosworth, existem muitas mais frentes que consideram as políticas do Facebook face à publicidade de campanhas eleitorais muito branda. Em Outubro, cerca de 250 funcionários da rede social enviaram uma carta conjunto ao CEO Mark Zuckerberg, criticando a politica da empresa neste campo.

Como exemplo, numa altura em que foi realizado o ataque ao general iraniano Qassem Soleimani, começaram a surgir pela rede social várias campanhas publicitárias a indicar a boa imagem para Donald Trump, que chegam aos consumidores finais como um ponto a favor para o presidente. Como exemplo, algumas campanhas que surgiram na rede social questionavam os utilizadores se as ações do Presidente Donald Trump ao ordenar o ataque tinham sido corretas, pedindo posteriormente dados pessoais para introduzir os utilizadores numa lista de campanha politica para apoiar a reeleição de Donald Trump.

Não existem dúvidas que o Facebook precisa de tomar uma posição sobre as suas campanhas políticas na plataforma, e numa altura em que outras redes sociais começaram a banir por completo este género de campanhas, a plataforma ainda permanece um mistério quanto ao que irá realizar – com tendência a vir a permitir essa publicidade, de forma moderada.
(TT)

Desenvolvido por: Suporte Informatica