Adolescentes ultrapassam restrições parentais nos iPhones

17-10-2019

Nem a Apple é capaz de impedir que os adolescentes encontrem formas criativas de contornar as restrições aplicadas pelos seus pais nos seus iPhones e iPads.

A plataforma iOS disponibiliza ferramentas que permitem aos pais limitarem o tempo de acesso a determinadas apps (ou proibirem o acesso a apps e sites), ou as horas a partir do qual devem deixar de ter acesso aos seus iPhones e iPads. Só que essas ferramentas não são tão eficientes quanto se poderia imaginar, e os adolescentes estão continuamente a encontrar novas formas de escapar a estas restrições.

Há técnicas bastante curiosas. Por exemplo, quando o limite de utilização do YouTube chega ao fim, os jovens podem simplesmente partilhar o link do vídeo no Messages, e ver o vídeo directamente a partir daí. Outros ainda, podem mudar a zona geográfica do iPhone, para alterar a hora, e poderem utilizá-lo apesar de já estar na hora em que supostamente não deveriam. E se é verdade que muitas destas técnicas podem ser impedidas com aplicação de mais algumas restrições, existem algumas para as quais não existe forma de as impedir: como a táctica de fazer uma captura de ecrã, para acederem ao iMessage a partir do painel de partilha da imagem.

E isto para não chegar aos casos de adolescentes que instalam software para “hackarem” o código de restrição dos iPhones, ou fazerem um reset completo (táctica mais radical da de apagarem uma app e reinstalarem, para continuarem a ter acesso). Mas de resto, acho que acaba por ser positivo, na óptica em que demonstra que os adolescentes continuam com capacidade para contornar as “adversidades” com que se deparam. O trabalho dos pais é simplesmente a de incentivar os seus filhos a direccionarem esse tipo de energia e recursos para todas as outras actividades a que se dediquem, e não apenas no acesso aos seus iPhones.
(ptnik)

Desenvolvido por: Suporte Informatica