O que é Internet das Coisas?

5-09-2019

A Internet das Coisas (Internet of Things, ou IoT, em inglês) está a conquistar cada vez mais pessoas e a fazer coisa realmente incríveis.

O que é a Internet das Coisas?

A Internet das Coisas (do inglês, Internet of Things, IoT) é uma rede de objectos físicos, veículos, prédios e outros que possuem tecnologia embarcada, sensores e conexão com a rede e é capaz de colectar e transmitir dados.

A Internet das Coisas emergiu dos avanços de várias áreas como sistemas de microeletrónica, comunicação e sensores.

A IoT tem recebido bastante atenção tanto da vertente académica como da indústria, devido ao seu potencial de uso nas mais diversas áreas das actividades humanas.

A Internet das Coisas, em poucas palavras, nada mais é que uma extensão da Internet atual, que proporciona aos objectos do dia-a-dia (quaisquer que sejam), mas com capacidade computacional e de comunicação, se conectarem à Internet.

A conexão à internet viabilizará, primeiro, controlar remotamente os objectos e, segundo, permitir que os próprios objectos sejam acedidos como fornecedores de serviços. Estas novas habilidades, dos objectos comuns, geram um grande número de oportunidades tanto no âmbito académico quanto no industrial. Todavia, estas possibilidades apresentam riscos e acarretam amplos desafios técnicos e sociais.

Qualquer objecto pode entrar na Internet das Coisas

Um dos principais pontos da Internet of Things é a ampla abertura para o uso do conceito. Isso porque não há limites nos objectos físicos que podem ser conectados, desde que ofereçam essas funções.

Uma lâmpada, por exemplo, pode ser controlada à distância ou a partir de sensores de movimento ou através de uma aplicação.

Da-mos um exemplo de uma já testada pelo nosso blog:
http://www.netthings.pt/2018/01/xiaomi-philips-smart-led-analise-e-funcionamento.html

Podem ser outros aparelhos como aspiradores, vasos (o da Xiaomi é brutal), entre outros.

Aparelhos da cozinha já testados por nós:

Chaleira Eléctrica da Xiaomi: http://www.netthings.pt/2018/04/xiaomi-mi-electric-water-kettle-1L5-anlaise-utilizacao.html

Aparelhos da casa de banho já testados por nós:

Balança Inteligente da Xiaomi: http://www.netthings.pt/2018/04/xiaomi-bluetooth-4-smart-weight-scale-Analise-Unboxing-Utilizacao.html

Escova Inteligente da Xiaomi: http://www.netthings.pt/2018/08/escova-de-dentes-electrica-da-xiaomi-Soocas-X3-Analise-Unboxing.html

Aparelhos de vigilância já testados por nós:
http://www.netthings.pt/2018/04/xiaomi-df3-dafang-1080p-analise-unboxing-e-utilizacao.html

Além disso, um ar-condicionado ou um aspirador de pó inteligente podem facilitar o trabalho doméstico, definindo horários programados.

Garrafas de água, vasos de flores e armários também contam com recursos para ficarem conectados. Na IoT, tudo depende da criatividade do programador ou utilizador.

Tudo pode ser controlado apenas por um dispositivo

Estes aparelhos podem ser todos eles controlados por uma aplicação instalada no teu telemóvel ou tablet. No caso da Xiaomi esta tem a Xiaomi Mi Home que controla todos os seus aparelhos inteligentes, mas existem outras e soluções muito engraçadas.

Outra solução super engraçada é a Solução Home Assitant, que um um Raspberry ou Arduino podes dar asas à tua imaginação!

As conexões normalmente, são feitas através de uma rede Wifi ou por bluetooth ou em casos mais raros por NFC.

O conceito de Internet das Coisas chega principalmente para facilitar o uso de determinados aparelhos e a realização de ações. Para reforçar esse objectivo, a maior parte dos dispositivos podem ser controlados a partir de um único smartphone ou tablet, desde que esteja, é claro, conectado em uma rede Wi-Fi ou 3G/4G.

A importância do RFID

A tecnologia RFID, identificação por radiofrequência, foi uma das principais impulsionadoras para o desenvolvimento da Internet das Coisas.

Utilizada na Segunda Guerra Mundial para identificar a aproximação de aviões, a RFID usa antenas e etiquetas para criar uma comunicação sem fios, permitindo dar vida às próteses, por exemplo.

Ao longo do tempo e com a evolução da banda larga, o método foi espelhado para electrodomésticos, criando o que hoje conhecemos por IoT.

Computadores não fazem parte da Internet das Coisas

O termo “Internet das Coisas” é usado para indicar dispositivos que geralmente não teriam conexão com a Internet e, a partir do trabalho de equipas de desenvolvimento, ganham a possibilidade de realizar algumas acções sem que um humano interaja fisicamente.

Como aparelhos, um computador ou um smartphone não estão dentro do conceito IoT, já que são criados para navegar online. Mas no entanto são e podem ser os nossos “servidores” de controlo de todos os aparelhos e de inserção destes na nossa rede.

Questões de segurança e privacidade

Para funcionar com comandos de voz, por exemplo, muitos dispositivos da Internet das Coisas ficam ligados durante o tempo todo e fazem gravações até identificarem uma palavra-chave que active as funções.

Dessa forma, alguns aparelhos deixam em risco as informações dos utilizadores, com grandes falhas a nível de privacidade e alguns também com falhas de segurança.

Como são dispositivos conectados o risco aumenta substancialmente e somos alvos mais fáceis para os hackers. Claro que as empresas trabalham em torno disso mas existe sempre hipótese.

Mas a grande questão é a privacidade e a forma como as grandes empresas usam os seus aparelhos inteligentes para captar dados dos utilizadores.

O Amazon Echo, que funciona com a assistente virtual Alexa, foi alvo de críticas nos Estados Unidos após um casal ter sua conversa gravada e enviada por e-mail, além de algumas pessoas identificarem risadas vindas do aparelho.

Cidades inteiras podem tornar-se inteligentes

Não são só as nossas casas que podem ficar inteligentes

Além de implementar a Internet das Coisas por toda a casa, desde os objectos do quarto e da sala até os electrodomésticos da cozinha, a conexão com a Internet também pode chegar às ruas e avenidas, tornando cidades inteiras inteligentes.

IoT pode prever necessidades

Ao utilizar diariamente os aparelhos conectados, a tecnologia passa a aprender os costumes e tarefas dos utilizadores.

Utilizando inteligência Artificial, a IoT tem capacidade de prever as necessidades dos utilizadores e enviar notificações disso mesmo, por exemplo para o nosso telemóvel.

Língua

Tem sido um dos entraves a uma maior expansão deste produtos. A maior parte dos aparelhos funcionam em Inglês ou chinês e ainda caraecem de linguas locais.

Mas esta barreira tem vindo a desaparecer.

Espero que a breve explicação, tenha sido útil!
(ITO)

Desenvolvido por: Suporte Informatica