Os humanos contra-atacam. Inteligência artificial da IBM perde na arte do debate

14-02-2019

Harish Natarajan, campeão europeu de debate em 2012 e finalista dos mundiais em 2016, superou o sistema de inteligência artificial criado pela gigante norte-americana.

Devemos subsidiar o ensino pré-escolar? Esta foi a pergunta de partida para Harish Natarajan, orador profissional e competitivo, e para Miss Debater, o sistema de inteligência artificial criado pela IBM para argumentar contra os humanos. Se em experiências anteriores a máquina tinha saído vencedora, desta vez os ‘humanos’ ganharam.

Cada participante teve 15 minutos para preparar o debate. Foram depois concedidos quatro minutos para uma apresentação inicial, quatro minutos para rebater o discurso do adversário e dois minutos finais de resumo de ideias.

O duelo foi protagonizado na conferência IBM Think, nos EUA, e na plateia estavam 700 pessoas, entre as quais oradores profissionais norte-americanos e também jornalistas. No final a vitória foi dada a Harish Natarajan.

O sistema da IBM usou uma base de dados com dez mil milhões de frases retiradas de meios de comunicação e estudos académicos para poder criar os seus argumentos. Apesar de não ter conseguido a vitória, Miss Debater apresentou um discurso bem articulado e argumentos pertinentes durante as suas intervenções.

Antes do debate, a IBM já tinha avisado que este seria o desafio mais difícil para o seu sistema de debates e que esta tecnologia pode ser usada no futuro em áreas muito distintas. “Pode ser usada para promover debates mais cívicos em comentários online ou por um advogado que se prepara para um julgamento”.

Apesar desta vitória, o resultado provisório dos grandes desafios recentes entre humanos e máquinas continua a pender para o lado da inteligência artificial: venceram no jogo milenar Go, venceram no competitivo e complexo DOTA 2 e estão a preparar-se para vencer também no igualmente difícil Starcraft 2.
(dn_insider)

Desenvolvido por: Suporte Informatica