Inteligência artificial trará um “aumento significativo” no cibercrime

9-11-2018

Antigo responsável do FBI diz que os sistemas inteligentes são uma arma poderosa para cibercriminosos, numa altura em que as autoridades concorrem por talento com o sector privado.

Há mais um sector em que a inteligência artificial está a abrir novos horizontes: o do cibercrime. Para James Trainor, que passou duas décadas a trabalhar no FBI, onde acabou por liderar a divisão de cibercrime, as tecnologias que estão a ser usadas para criar todo o tipo de automatismos vão também dar origem a ataques informáticos mais poderosos.

“A grande questão é passar de uma actividade de cibercrime feita por humanos, em que é uma pessoa e um teclado, para a automação e uso da inteligência artificial. Vai ser possível fazer ataques em grande escala”, antecipa Trainor, que conversou com o PÚBLICO durante a Web Summit.
COntinuar a ler –> Publico

Desenvolvido por: Suporte Informatica