Tecnologia era recurso para gangue roubar carros de luxo

25-08-2018

A GNR de Braga desmantelou um grupo organizado que colocava dispositivos com localização GPS nos automóveis-alvo. Também recorria a um inibidor de frequências de telecomunicações e de sinal rádio, apenas permitido a polícias e militares.

O recurso permitia que os elementos do gangue “acompanhassem” as viaturas e descobrissem onde moravam os proprietários, podendo, desta forma, avaliar a melhor oportunidade para concretizarem os assaltos.

Como alvo tinham normalmente viaturas de luxo. Uma das vítimas deste método foi o antigo médico do Sporting de Braga Romeu Barbosa, de acordo com o Jornal de Notícias.

Na operação Xairel, como ficou conhecida, foram apreendidas várias “lapas”, nome dado a estes dispositivos magnéticos na gíria policial. Os localizadores são normalmente colados na carroçaria dos veículos, cujo GPS com um número de telemóvel associado, permite saber exatamente onde o carro se encontra. Através das viaturas, também eram localizadas as residências dos seus proprietários.

O gangue estava igualmente na posse de um sofisticado inibidor de frequências de telecomunicações e de sinal rádio, apenas permitido a polícias e militares. O inibidor silenciava comunicações num raio de 300 metros, permitindo neutralizar alarmes, impedir comunicações telefónicas à polícia e mesmo perturbar as comunicações entre agentes da autoridade.

A operação Xairel foi desencadeada no início de julho e em resultado foram detidos oito homens e uma mulher, com idades compreendidas entre os 27 e os 48 anos, por furtos em residências e de carros.
(teksapo)

Desenvolvido por: Suporte Informatica