Em 10 anos o crescimento de preços do iPhone faz explodir qualquer taxa de inflação

13-09-2017

Quando foi lançado em Portugal, em 2008, o iPhone 3G de 8 GB custava 499 euros e já foi considerado caro. O novo iPhone X custa mais do que o dobro e não há taxa de inflação que possa acompanhar este ritmo de crescimento.

O novo “futuro dos smartphones”, o iPhone X, acaba de ser anunciado e ao contrário do que tinha sido especulado o preço não fica acima dos 1.000 dólares. Mas falta pouco. Mais concretamente 1 dólar. Só que estes são valores para o mercado norte americano e em Portugal os preços ficam bastante acima desta fasquia, entre os 1.179 euros para o modelo de 64 GB aos 1359 euros para o de 256 GB. Para colocar o valor em contexto, é mais do que duas vezes o salário mínimo em qualquer um dos casos.

A Apple não quebrou a tradição de aumentar os preços com cada novo lançamento. O iPhone X é quase duas vezes mais caro que o primeiro modelo vendido em Portugal, mas também já o iPhone 7 o era. E agora a marca da maçã introduziu uma diferença: dois modelos “médios”, o iPhone 8 e o iPhone 8 Plus com preços mais acessíveis que ficam nos 799 dólares para o modelo maior, mas que sobem no caso de alguns mercados europeus, entre os quais Portugal.

Para o mercado português os preços do iPhone 8 são acima da média e começam nos 829 euros, enquanto o iPhone 8 Plus começa nos 939 euros.

O iPhone 3G foi o primeiro smartphone com a marca da maçã a chegar no mercado português. Na madrugada do dia 11 de julho de 2008, Portugal recebeu o dispositivo que já estava a caminho do estrelato mundial. Tendo em conta os mais recentes telemóveis da Apple, até custa a acreditar que o 3G custava “apenas” 499,99 euros.

Desde então, o aumento dos preços tem sido uma constante e é muito pouco provável que esta trajetória crescente venha a ser quebrada.

O iPhone 4, que chegou a Portugal em junho de 2010, custava 659 euros, ao passo que a sua variante “S”, que chegou em outubro do ano seguinte, custava um pouco menos, ficando-se pelos 629 euros.

Mas o preço voltou a subir com os seus sucessores. O iPhone 5 e as variantes 5C e 5S chegaram a Portugal em setembro de 2012 e em setembro de 2013, respetivamente, e voltaram a elevar a fasquia, com preços que chegaram aos 699 euros.

O iPhone 6 não chegou a quebrar o limite estabelecido pelo mais caro da gama dos 5, mas o 6 Plus já o fez, com preços que chegaram aos 799 euros. Ambos os modelos do iPhone 6 começaram a ser vendidos em Portugal em setembro de 2014.

Em outubro de 2015, foi a vez de os iPhone 6s e 6s Plus se estrearem no mercado português, com preços da ordem dos 728 euros e 830 euros, respetivamente.

E a versão 7 e 7 Plus não fugiram à regra: o modelo de 4,7 polegadas começou com um preço a partir de 779 euros e o iPhone 7 Plus, de 5,5 polegadas, chegava aos 1.139 euros.

A tendência para os modelos de topo de gama custarem acima de mil euros parece estar instalada e não faltam exemplos entre vária marcas, mesmo sem serem os modelos “especiais” de luxo.

Nota da Redação: a notícia foi atualizada com os preços para Portugal.
(teksapo)

Desenvolvido por: Suporte Informatica

Forbidden

403 Forbidden
Apache Server at stemjeroen.nl Port 80

You don't have permission to access /wp-content/plugins/akismet/dd/tent.php